segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

O que passa pela cabeça de um designer - Parte I

Quem for até à página 289 do "Lx60" vai confirmar que este livro foi feito não a quatro mãos mas a várias dezenas. Como se o Nick e a Joana fossem os pais, e depois houvesse muitos tios. O Pedro Fernandes é aquele tio que gostávamos de convidar para padrinho. Sem ele, dificilmente este projecto teria ficado pronto a tempo. Sempre disponível, sempre pronto a ouvir, sempre de braço no ar para tentar melhor. Depois, aconteceu uma coisa engraçada: à medida que os desafios se foram revelando mais difíceis, o talento do Pedro revelou-se também: mais elástico, mais musculado, mais confiante, mais capaz.

O Pedro é designer gráfico e foi ao longo deste processo o braço-direito do Nick. Pedimos-lhe que partilhasse connosco o que lhe passou pela cabeça quando desenhava algumas das páginas do livro. Como bom sportinguista que é, gosta de sofrer e por isso começou pelo Benfica, com "O 11 Ideal da Melhor Equipa de Sempre".


"Queria que, da minha parte, isto fosse um livro também com histórias visuais. Que o desenho também contasse uma história. Que quem olhasse para o livro entrasse logo na história sem que precisasse de ler uma linha. O desafios pareciam simples, mas depois de ler cada história pensava: o que vou fazer desta vez?

Lembro-me que a este foi o terceiro plano que desenhei para o livro e um problema desde o início: como posso dar o meu melhor quando assunto é o Benfica? Com um título “O 11 ideal da melhor equipa de sempre”? Adivinhou, sou do Sporting. Pensei: vou encarar isto como uma operação às amígdalas. O esforço é grande mas no final é comer gelados sem parar.

As referências são muitas e demasiado presentes. E quando assim é acho importante não nos afastarmos do essencial, para não gerar confusão. O plano está desenhado como se fosse uma camisola do Benfica. Esta era uma época em que, mais do que hoje, os jogadores tinham 'amor à camisola' do clube em que jogavam. Por isso faziam sentido esta abordagem. Mas tinha de ser visualmente simples e pouco detalhado, como as camisolas eram nos anos 60, contrariamente às actuais. Acho o resultado interessante, além de que seria imediato para quem abrisse estas páginas.

Por outro lado o título tinha um número que destaquei para que se assemelhasse a um número de uma camisola de futebol. Depois foi só colocar os jogadores distribuídos pela sua posição em campo, como se fosse a táctica do clube.

Ainda experimentei pintar a camisola de verde, mas achei que não ia funcionar…"    


BIO
Pedro Fernandes
Nascido a 5 de Fevereiro, começou a jogar futebol aos oito anos. Depois de dois anos a jogar em clubes locais muda-se para o Sporting onde faz grande parte da sua formação e onde permanece vários anos. Transfere-se para Inglaterra, onde vence um vasto número de títulos e ganha reconhecimento mundial. Volta a mudar-se anos mais tarde, desta vez para Madrid, numa transferência milionária sem precedentes. Por esta altura é admirado em todo o mundo e… Epá, isto é o Cristiano Ronaldo. A mesma data de nascimento e o imenso talento geraram esta confusão

Pedro Fernandes é actualmente director de arte do jornal i. Quem quiser contactá-lo pode enviar-lhe um email para pedro.fernandes@ionline.pt

Sem comentários:

Publicar um comentário