sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Cosmocópula

I
Membro a pino
dia é macho
submarino
é entre as coxas
teu mergulho
vício de ostras

II
O corpo é praia
a boca é a
nascente
e é na vulva que
a areia é mais sedenta
poro a poro vou
sendo o curso de
água
da tua língua
demasiada e
lenta
dentes e unhas
rebentam como
pinhas
de carnívoras plantas
te é meu ventre
abro-te as coxas e
deixo-te crescer
duro e cheiroso como o
aloendro

Natália Correia


in "Antologia de Poesia Erótica e Satírica", editada e proibida em Dezembro de 1965

Sem comentários:

Publicar um comentário